Escolha uma Página
Sterna Café conclui 2018 com 34 novas franquias

Sterna Café conclui 2018 com 34 novas franquias

A rede de franquias Sterna Café tem investido no segmento de cafés especiais.

O mercado de cafés especiais está em plena ascensão no Brasil, pois o consumidor está cada vez mais disposto a investir em bebidas de melhor qualidade.

Estudo realizado pela Euromonitor e encomendado pela Associação Brasileira de Cafés Especiais apontou que o consumo deste tipo de bebida deve crescer 19% em volume apenas este ano, movimentando 2,6 milhões de reais. Isso representa uma alta de 23%. A expectativa é chegar à casa dos 4,7 milhões até 2021.

A rede de franquias tem comemorado este aquecimento, que vai na contramão da recessão. “Iniciamos o ano com 16 unidades e vamos fechar 2018 com 50 lojas”, afirmou Deiverson Migliatti, fundador do Sterna Café, rede de cafés especiais que traz blends de todo o mundo. Das 34 novas franquias, 24 estarão em operação até dezembro e as demais até o mês de abril.

Desde a fundação, em setembro de 2015, até agosto deste ano, a rede vendeu mais de 360 mil xícaras de café e mais de 483 mil bebidas à base de café.

Veja também

GEOGIA FRANCO, UMA DAS MAIORES REFERÊNCIAS DO MUNDO EM CAFÉS ESPECIAIS

“Os brasileiros não estão mais em busca de uma simples xícara de café. A bebida virou uma experiência onde a pontuação do grão, origem, fragrância, corpo, método de extração e sabor são atributos que automaticamente já são analisados pelo consumidor”, explicou Migliatti.

Novas lojas serão inauguradas em Belo Horizonte e no Shopping Anália Franco, em São Paulo. Foi fechada também uma parceria com a Saraiva, que ganhou uma unidade Sterna na livraria do Shopping Eldorado.

As próximas inaugurações incluem a primeira unidade no Sul do país. “Chegaremos à Maringá ainda em setembro, apresentando uma loja completa, localizada em um edifício comercial que será tanto ponto de encontro para compromissos corporativos quanto casuais”, afirmou o empresário.

A rede possui um compromisso sustentável que pode ser conferido no mobiliário, que inclui poltronas feitas de sacas de café, sofás de lonas de caminhão, paredes de container, madeiras de reflorestamento OSB e outros elementos que proporcionam aos clientes uma verdadeira imersão no mundo do café.

O processo de internacionalização também já faz parte da realidade do grupo que faturou 10 milhões de reais em 2017 e espera 13 milhões de reais de faturamento para 2018. “Estamos com projetos já adiantados em cidades como Washington, Miami e Cascais, em Portugal”, esclareceu Deiverson.

Estão disponíveis quatro modelos de franquias da rede Sterna Café: quiosques, lojas, to go e bistrô. O investimento começa em 99 mil reais.

Perseu Coffee House, uma nova opção na cena paulistana das boas cafeterias

Perseu Coffee House, uma nova opção na cena paulistana das boas cafeterias

Perseu Coffee House, localizada na esquina da Santos & Augusta, um hot spot cafeinado.

É no hall de entrada do edifício Santos Augusta que o Perseu Coffee House dá vida àqueles que chegam para uma reunião ou para aproveitar o dia sentado em uma das cadeiras escolhidas a dedo pelo renomado arquiteto Isay Weinfeld. O cheirinho de café aguça o paladar e o olfato de quem passa pelo espaço de 100m², localizado no coração do Jardins, em São Paulo.

A marca de café, que tem nome inspirado na constelação Perseu, oferece cardápio assinado pelo barista e mestre de torra Ton Rodrigues. No menu está o espresso Perseu (R$7,50), além de dois microlotes exclusivos de torra média: Crater (R$13,50) e Andrômeda (R$13,50). O primeiro tem notas mais amendoadas e achocolatadas. Já o segundo traz aromas de frutas vermelhas e notas mais cítricas. “Sempre vamos ter microlotes com blends e perfis de torra exclusivos, que são periodicamente substituídos ao longo do ano. Isso traz variedade e diversifica a experiência que queremos oferecer aos clientes”, informa a proprietária Andrea Tchalian Conde.

Opções para todos os gostos

coffee house, que leva o nome da marca, oferece cinco métodos de extração de café. O AeroPress é uma extração feita sob pressão que traz intensidade no aroma, sabor, doçura e corpo. O Hario V60, proporciona um café limpo, doce e de elevada complexidade, enquanto o Chemex permite explorar os aromas do café por meio de uma bebida encorpada e intensa. Já o Clever é um método por infusão que resulta em um café delicado e de complexidade surpreendente, e o French Press, a prensa francesa, permite a passagem de mais óleos essenciais, gerando uma bebida equilibrada, de textura e intensidade marcantes.

Para os apreciadores de arte

O espaço terá exposições temporárias, que serão trocadas de 3 em 3 meses. Neste início, a parceria com a Galeria Luciana Brito traz esculturas do francês Raphael Zarka, além da obra permanente na entrada da coffe house, nomeada ‘Perseu e Andrômeda’, do casal de artistas Angela Detanico e Rafael Lain.

Perseu Coffee House: A marca Perseu Coffee House teve inspiração na constelação que leva seu nome. Segundo a mitologia grega, Perseu foi um semi-Deus e ancestral dos imperadores da Pérsia. E foi nessa região, por volta do século XVI, que o café foi torrado pela primeira vez. Com grãos especiais, torrefação artesanal e garantia de procedência, Ton Rodrigues, barista e mestre de torra, assina o cardápio que traz cafés especiais e diferentes bebidas – smothies, drinks gelados, chás entre outros. O menu, recheado de itens para todos os paladares, traz opções salgadas e doces, cuidadosamente elaboradas para agradar todos os clientes.

Serviço:

Perseu Coffee House
Alameda Santos, 2159 – Hall Santos Augusta
Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira, das 8h às 20h; sábado e domingo, das 9h às 21h.

Mais informações: www.perseucoffeehouse.com.br

Conheça a nova cafeteria da Biblioteca Pública do Paraná

Conheça a nova cafeteria da Biblioteca Pública do Paraná

Biblioteca Pública do Paraná ganha novo espaço e agora tem café

O público da Biblioteca Pública do Paraná tem um novo espaço de convivência. É o Café da Biblioteca, no hall térreo do prédio histórico, no centro de Curitiba. Em atividade desde 15 de agosto, oferece diversos tipos de cafés (espressos e coados), doces, salgados e também publicações impressas. O horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 9h às 20h, e aos sábados, das 9h às 13h.

O Café da Biblioteca é administrado pela Arte & Letra, empresa que venceu uma licitação de concorrência pública, disponibilizada no Diário Oficial do Paraná em 27 de fevereiro deste ano.

O diretor da BPP, Rogério Pereira, afirma que a implementação do café está em sintonia com as transformações que a instituição vem passando nos últimos anos, incluindo a modernização das instalações e a realização de uma variedade de projetos culturais.

“O café era uma demanda antiga de nossos leitores e se coloca como mais um espaço de convivência dentro da BPP. É uma iniciativa para atrair ainda mais público, além das 2 mil pessoas que, em média, passam pelo prédio histórico todos os dias”, diz Pereira.

Fonte: BPP

Coca-Cola compra Costa Coffee por US$ 5,1 bilhões

Coca-Cola compra Costa Coffee por US$ 5,1 bilhões

Com quatro mil lojas em 31 países, marca é a maior rede de cafeterias do Reino Unido

Quando comprada pela Whitbread, em 1995, a Costa Coffee possuía apenas 39 lojas. Hoje, 23 anos depois, já soma mais de 4 mil espalhadas por 31 países. Agora chegou a vez da marca dar um passo além: a Coca-Cola acabou de comprar a Costa Coffee por 5 bilhões de dólares, como reportou o The Guardian.

A aquisição transformará a Coca-Cola na empresa com maior número de lanchonetes do Reino Unido, além de se tornar, agora, uma referência no negócio das cafeterias, que é um dos ramos que mais cresce no mundo. O mercado global de cafés vale, hoje, US $ 165 bilhões.

A aquisição é a mais recente de uma série de acordos de compras da Coca. A empresa tenta se reinventar em uma era em que os refrigerantes carregados de açúcar estão em declínio. Recentemente, a PepsiCo comprou a fabricante de refrigerantes SodaStream, enquanto a gigante de alimentos Nestlé assinou um acordo de US $ 7,3 bilhões para licenciar cafés e chás embalados pela Starbucks em todo o mundo.

“Bebidas quentes é um dos poucos segmentos de bebidas onde a Coca-Cola não tem uma forte marca global”, disse James Quincey, diretor executivo da empresa. “A Costa Coffee nos dá acesso a esse mercado”.

“O acordo é uma tentativa de se adaptar rapidamente às mudanças de gostos, como o aumento da popularidade do café, especialmente entre os consumidores mais jovens”, disse Angus Grierson, diretor da empresa de consultoria LGB Corporate Finance, que ainda elogiou o negócio por constatar que os consumidores, cada vez mais, optam por bebidas menos açucaradas.

Chef André Mifano vai abrir café em frente ao seu restaurante

Chef André Mifano vai abrir café em frente ao seu restaurante

Inauguração do Lilu Café será no início de setembro em frente ao Restaurante Lilu, no bairro de Pinheiros, na Capital Paulista.

Cafeterias aderem aplicativos para atrair e fidelizar clientela

Cafeterias aderem aplicativos para atrair e fidelizar clientela

Além de aplicativos que facilitam pedidos e pagamentos, algoritmos capazes de decifrar a preferência dos consumidores serão utilizados nas lojas de café.

A competitividade do mercado de cafeterias, no contexto do aumento do consumo mundial de café, tem motivado empresas do setor a buscarem cada vez mais melhoria da qualidade do café, assim como estratégias capazes de atrair, manter e fidelizar a clientela. Nesse contexto, para agir em sintonia com essas tendências, cafeterias estão utilizando tecnologias digitais, como aplicativos que facilitam o pedido e o pagamento, além de algoritmos capazes de decifrar as preferências do consumidor.

Como exemplo do emprego de tecnologias digitais, uma rede norte-americana de cafeterias, que atua em nível mundial, está utilizando algoritmos para identificar com antecedência as preferências de seus clientes. Com isso, a empresa planeja lançar um programa que fornecerá sugestões de consumo à clientela, por meio de estudo dos hábitos de consumo dos clientes em dias úteis e fins de semana, além da influência das condições climáticas e outras informações pessoais que interferem no consumo.

Com essa novidade a empresa objetiva atrair clientes que estão próximos de suas unidades franqueadas, por meio de notificações do aplicativo e, dessa forma, pretende motivar a clientela a realizar pedidos via mensagem de texto, antes mesmo de chegar aos pontos de venda. Outra grande empresa de cafeterias, de origem britânica, também lançou uma nova tecnologia do mundo digital que oferece à clientela funções de pagamento e fidelização para quem utilizar o serviço virtual. Esse aplicativo permite que os clientes fidelizados realizem pagamentos apenas com o deslizar dos dedos na tela dos smartphones, sem burocracia.

Esses e outros modernos destaques da era digital, além de análises de tendências e da performance do mercado mundial de café, constam do Relatório Internacional de Tendências do Café (VOL.6/Nº07/ 31 AGOSTO 2017), do Bureau de Inteligência Competitiva do Café, da Universidade Federal de Lavras – UFLA. O Relatório está disponível na íntegra no Observatório do Café, do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café, assim como as demais edições anteriores, que valem a pena serem conferidas.

Veja também:

APLICATIVO PARA APAIXONADOS POR CAFÉ: ROTEIRO EXPERIÊNCIAS CAFEINADAS SP

 

THE COFFEE MATCH, UM APLICATIVO PARA NETWORKING EM CAFETERIAS

O Bureau, em seu Relatório de Tendências do Café, divide as análises e prospecções em quatro seções temáticas: PRODUÇÃO, INDÚSTRIA, CAFETERIAS e INSIGHTS. Sobre PRODUÇÃO, o Bureau destaca faz um panorama geral das lavouras de café em Cuba, Colômbia, Congo, Sudão do Sul, Timor Leste, Myanmar, Iêmen, entre outros assuntos.

Quanto à INDÚSTRIA, o Relatório ressalta o aumento da competição no mercado de café em cápsulas, o qual cresceu exponencialmente nos últimos cinco anos e atinge uma fase de consolidação com o aumento expressivo de empresas concorrentes no setor. Nesse sentido, o Relatório do Bureau, faz uma breve análise sobre as grandes empresas que atuam nesse setor, além de abordar fusões, aquisições, inovações que têm sido protagonizadas pela indústria cafeeira em nível global. Os INSIGHTS trazem uma análise que sintetiza as três seções temáticas aludidas anteriormente. Além disso, o Relatório divulga um artigo intitulado “O café na padaria, na confeitaria e na cafeteria”, que vale a pena ser lido e conferido.

Relatório Internacional de Tendências Competitiva do Café – Disponível no Observatório do Café faz parte do plano de ação do projeto “Criação e Difusão de Inteligência Competitiva para Cafeicultura Brasileira”, do Consórcio Pesquisa Café. O projeto é financiado pelo Fundo de Defesa da Economia Cafeeira – Funcafé, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Mapa, e tem o objetivo de monitorar, analisar e difundir informações e indicadores relevantes para a competitividade da cafeicultura brasileira, bem como propor soluções estratégicas para os problemas enfrentados pelo setor.

Confira todas as análises e notícias divulgadas pelo Observatório do Café no link abaixo: www.consorciopesquisacafe.com.br/index.php/imprensa/noticias

Acesse Publicações sobre café e portfólio de tecnologias do Consórcio Pesquisa Café: www.consorciopesquisacafe.com.br/index.php/publicacoes/637

Lucas Tadeu Ferreira (MTb 3032/DF)
Embrapa Café

label-contato-imprensa

Telefone: 61 34484010

Eduardo Aiache 
Embrapa Café

label-contato-imprensa

Telefone: 61 34484010

Mais informações sobre o tema
Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC)
www.embrapa.br/fale-conosco/sac/